Frei Caneca (1779-1825)

24/06/2015 00:01

"Quem bebe da minha 'caneca' tem sede de liberdade"
                                                                               (Frei Caneca)
 

    Em minha santa ignorância, até um tempo atrás Frei Caneca era pra mim apenas uma avenida (pasmem, mas é a triste verdade), mais tarde, descobri que se tratava de um político, jornalista, religioso, patriota apaixonado e acima de tudo um Mártir Brasileiro, um guerreiro da Liberdade, e lutar por ela é premissa fundamental para ser um bom Maçom.

  Joaquim do Amor Divino Rabelo e Caneca nasceu em Recife. Filho de Tanoeiro, acabou incorporando apelido que ganhou da profissão do pai em seu nome, alguns autores chegam a afirmar que ele vendia canecas pelas ruas de sua cidade. Foi educado no Seminário de Olinda, considerado berço de ideias liberais, professou votos no Convento do Carmo. Segundo o padre Dias Martins em sua Obra "Mártires Pernambucanos", em 1801, Caneca já ordenado foi iniciado na Loja Academias de Suassuna, já o Irmão João Ferreira Durão diz em seu livro "Pequena História da Maçonaria no Brasil" que ele foi iniciado no Areópago de Itambé, mas não informa o ano. O Frei participou também ativamente da Revolução Pernambucana, levante de caráter emancipacionista em 1817 e neste mesmo ano foi preso e levado a Salvador, onde cumpriu pena até 1821.
    Quando foi libertado, o Frei voltou a Pernambuco, onde tornou-se professor de geometria, filosofia e retórica. Fundou também um jornal de oposição ao governo com idéias iluministas e revolucionárias (Typhis Pernambucano). Em julho de 1824, Caneca juntos com outros líderes Pernambucanos, tais como Cipriano Barata e Manuel de Carvalho Paes, formaram a Confederação do Equador, movimento político republicano com caráter libertário.  A Província chegou a ser conhecida como "Leão-do-Norte", mas da ascensão a queda foi rápido, esse movimento acabou sendo desmantelado em setembro do mesmo ano e o nosso Frei Caneca capturado em 29 de novembro.
    Em 13 de Janeiro de 1825 nosso valoroso Irmãos Joaquim do Amor Divino Rabelo e Caneca seria enforcado na frente do Forte das Cinco Pontas se não tivesse um pequeno problema, ninguém queria executar o amado Frei, sendo assim acabaram mandando nosso Herói para o fuzilamento. Como já dizia "V" da obra "V de Vingança", escrita por Alan Moore "Ideias são a prova de balas", sendo assim o maior legado que o Frei deixou foi a Liberdade e o amor a pátria.
 
Bibliografia
 
  • DURÃO, João Ferreira. Pequena História da Maçonaria no Brasil. São Paulo: Madras, 2008 p. 256
  • Site Historianet - http://www.historianet.com.br/conteudo/default.aspx?codigo=383
  • O Globo online - http://oglobo.globo.com/cultura/frei-caneca-promovido-heroi-pelos-inimigos-9288058
  • Site Uol Educação -  http://educacao.uol.com.br/biografias/frei-caneca.jhtm
 

 

Voltar

Tópico: Frei Caneca (1779-1825)

  • Data: 25/06/2015 De: Gabriel

    Assunto: Muito bom!

    Gostei Muito!

    Responder

Novo comentário

Contato

Maçonaria Tupiniquim

© 2014 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátis

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!